segunda-feira, 29 de março de 2010

Vendem-se sorrisos

Para venda: um sorriso
Custo: beijinho no nariz
Troco: trinca na orelha
Objectivo: ficar rica

Levo dois, se faz favor.

Dás-me o teu sorriso?

Eram 19h30 e o Sol começava a fugir. De certa forma isso tornava as coisas mais fáceis. Assim ele já não tinha que a ver a chorar, já não tinha que ver como os seus olhos se enchiam de lágrimas a cada palavra dita. Ele já não sabia que fazer. Tinham-se passado várias horas e não tinham saído do mesmo sítio, não se tinham mexido sem ser para brincar com os dedos um do outro, e não tinham dito mais do que "desculpa". Ele perguntava-se como as coisas tinham chegado àquele ponto, culpava-se por deixá-la naquele estado, desesperava por não saber o que fazer. Só queria voltar a vê-la sorrir. Ela encolhia-se com medo da noite, com medo de ficar só, com medo de não parar de ter medo. Eram horas de ir embora, já estavam atrasados. Era o costume. Caminharam de mãos dadas, em silêncio, com a intimidade de quem sabe que tudo o que precisa está a um abraço de distância. Lá fora ouvia-se a escuridão e o som dos passos dados. Mas apenas pensamenos difusos ecoavam nas suas cabeças. Despediram-se. Ele abraçou-a com força, ela pediu-lhe que não partisse. Ela afastou-se com os olhos molhados, e ele corroído pela tristeza de um final infeliz. Perguntaram-se quando seria a próxima vez. Se haveria próxima vez. O que ele não sabia é que ela apenas precisava que ele lhe dissesse que ia ficar tudo bem.

sábado, 27 de março de 2010

Unir os pontos





















Espero um dia encontrar a felicidade tal como uma criança faz ao unir os pontos. Por enquanto apenas vejo códigos de erro.

sexta-feira, 26 de março de 2010

Dia do chocolate

Hoje festeja-se o Dia do Cacau no Brasil, e, como tal, aqui vão uns conselhos:
-Faça um bolo, ataque a embalagem de bombons ou faça uma maratona de tabletes de chocolate;
-Aproveite para perder a cabeça e comprar aquele gelado que tem mais calorias que todas as refeições da semana;
-Quando lhe perguntarem por que não foi à escola ou ao emprego, diga simplesmente que estava ocupado a desfrutar os pequenos prazeres da vida (ou com uma dor de estômago).

Atenção
O Dia do Cacau é só hoje de maneira que qualquer excesso não será tolerado a partir de amanhã, com o risco de deixar de caber naquelas calças de ganga fantásticas.

Para quem não gosta de chocolate
Há um monte de outras coisas doces para comer e fazer!

quinta-feira, 25 de março de 2010

quarta-feira, 24 de março de 2010

Gotas













Uma só lágrima.

In pieces

Telling me to go
But hands beg me to stay
Your lips say that you love
Your eyes say that you hate

There's truth in your lies
Doubt in your faith
What you build you lay to waste

This truth in your lies
Doubt in your faith
All I've got is what you didn't take

sexta-feira, 19 de março de 2010

Dia mundial do sono

Quem não olhou já para o seu gato e pensou na inveja que tinha por ele poder passar a vida a dormir?

quinta-feira, 18 de março de 2010

Ao (meu) Sol

Tantos dias de chuva, tanto frio que já veio... Inverno mais chuvoso dos últimos muitos anos, e no entanto até no abrigo do meu tecto sentia a água a cair, mais fria do que a chuva que me escorria na janela. Mas o vento é agora uma brisa suave que pode vir de manhã, de noite, ou a qualquer outra hora, mas que se limita a fazer-nos cócegas no pescoço e nos faz sorrir perante toda aquela ironia. O Sol brilha em cada esquina, ou, mesmo que não brilhe, ameniza o ambiente, e as saudades que já tinha do calor. A Primavera está quase aí e eu espero os bons dias que ainda estão para vir. Por enquanto o Sol está quente... E como isso me sabe bem.

quarta-feira, 17 de março de 2010

terça-feira, 16 de março de 2010

domingo, 14 de março de 2010

Ser criança é muito natural

Há um mundo de sonhos onde reina a esperança
Onde a fantasia pode acontecer
E quem entrar nesse mundo vai ser sempre criança
E ser feliz sem medo de viver
Vem correr, pular, vem, vamos brincar
Vem comigo entrar nesta dança
Vem correr, pular, vem, vamos brincar a voar
Há um mundo de magia onde tudo é alegria
Onde toda a gente vive a sorrir
E nesse mundo encantado
O que estiver desbotado
Eu vou ensinar-te a colorir
Abre as asas do teu coração
Ser criança é muito natural
Vem entrar num mundo de ilusão
Até o sonho se tornar real
Vem comigo, eu quero-te mostrar
Que a vida é como um carrossel
Ser criança é acreditar
Que viver é doce como o mel
Por isso abre os olhos, dá-me o braço, vamos por aí
Despertar essa criança que há em ti

(Porque hoje, hoje, eu estou feliz.)

sexta-feira, 12 de março de 2010

Geografia do homem e da mulher

Geografia da mulher
Entre os 13 e os 17 anos, a mulher é como a Antártida: misteriosa e com quase todas as regiões ainda não exploradas.

Entre os 18 e os 25, é como o continente Africano: uma metade já foi descoberta e a outra metade esconde beleza ainda selvagem.

Entre os 26 e os 35, é como a América do Norte: moderna, desenvolvida, civilizada e aberta a negociações.

Entre os 36 e os 40, é como a Índia: muito quente, relaxada e consciente da sua própria beleza.

Entre os 41 e os 50, é como a França: mesmo que não tão jovem, ainda desejável de se visitar.

Entre os 51 e os 60, é como a Jugoslávia: perdeu a guerra, é atormentada por fantasmas do passado, mas empenha-se na reconstrução.

Entre os 61 e os 70, é como a Rússia: espaçosa e com fronteiras sem patrulha. A camada de neve oculta poucos tesouros.

Entre os 71 e os 80, é como a Mongólia: com um passado glorioso de conquistas, mas com poucas esperanças no futuro.

Depois dos 81, é como o Afeganistão: todos sabem onde está, mas ninguém lá quer ir.

Geografia do Homem
Entre os 13 e os 60 anos, o homem é como Cuba: governado por um só membro.

Depois dos 61 anos, é como a União Soviética: sem a ditadura, acaba e morre.

quinta-feira, 11 de março de 2010

Lavar a alma

-Deixa-a chorar, chorar lava a alma.
-Só queria é que ela não a lavasse de mim...

quarta-feira, 10 de março de 2010

Terra do não saber

-Para onde vais?
-Não sei.
-Não saber fica mais perto.
(Encontramo-nos lá.)

terça-feira, 9 de março de 2010

So why am I waiting, this life that I'm wasting?

You have a chance to really shine now
Well patience never was one of your true virtues
Stop trying to control everything and fuck what they say,
What do you have to prove?

So why am I waiting, this life that I'm wasting, if that's what you mean?

How will this be when all is said and done?
Will I know where I'm from?
Remember me

Where will I be?
I guess I'm on the run and time is catching up behind me.

segunda-feira, 8 de março de 2010

Guia de como bem tratar as mulheres (parabéns neste dia)

1. Quando ela chora por ti, beija-a até que pare;
2. Quando ela não quer que lhe toques, agarra-a com força para que não fuja;
3. Quando ela te ignora, quer toda a tua atenção;
4. Quando ela se quer ir embora, segura-a pela cintura e não a deixes ir;
5. Quando ela se vai embora, segue-a e pede-lhe para que volte;
6. Quando ela se sente mal, diz-lhe como é bonita;
7. Quando ela tem medo, segura-a e diz-lhe que tudo ficará bem pois tu estás com ela;
8. Quando ela segura a tua mão, brinca com os seus dedos;
9. Quando ela está calada, é porque está a pensar em como te ama;
10. Quando ela está envergonhada, diz-lhe que a amas;
11. Quando ela tiver a sua cara perto da tua, quer que a beijes;
12. Quando ela te olha nos olhos, quer que lhe digas algo;
13. Quando ela se sente insegura, apenas quer um reforço de segurança;
14. Quando ela diz que te odeia, é porque te ama;
15. Quando ela diz para que vás, é quando mais quer que fiques;
Quando ela, apesar de tudo, diz que te ama, é porque o sente de facto, e não quer que duvides.

Meninos, não podem viver connosco, não podem viver sem nós.

9 deadly words used by a woman

1. Fine
This is the word women use to end an argument when they are right and you need to shut up.

2. Five minutes
If she is getting dressed, this means a half an hour. Five minutes is only five minutes if you have just been given five more minutes to watch the game before helping around the house.

3. Nothing
This is the calm before the storm. This means something, and you should be on your toes. Arguments that begin with nothing usually end in fine.

4. Go ahead
This is a dare, not permission. Don’t do it.

5. Loud sigh
This is actually a word, but is a non-verbal statement often misunderstood by men. A loud sigh means she thinks you are an idiot and wonders why she is wasting her time standing here and arguing with you about nothing.

6. That’s okay
This is one of the most dangerous statements a women can make to a man. That’s okay means she wants to think long and hard before deciding how and when you will pay for your mistake.

7. Thanks
A woman is thanking you, do not question, or faint. Just say "you're welcome". (I want to add in a clause here - this is true, unless she says "thanks a lot" - that this is pure sarcasm and she is not thanking you at all. Do not say "you're welcome", that will bring on a whatever).

8. Whatever
Is a woman's way of saying "F– YOU!".

9. Don't worry about it, I got it
Another dangerous statement, meaning this is something that a woman has told a man to do several times, but is now doing it herself. This will later result in a man asking "what’s wrong?" and in a woman answering nothing.
(Adaptado de um grupo do Facebook)
Somos ou não somos o máximo?

domingo, 7 de março de 2010

Saudade

A dor do que foi e não vem, a dor do que perdemos sem perceber, e a vontade de que tudo mude mesmo sem sabermos bem como. Mesmo que tudo pareça perdido, ou mesmo que esteja de facto, o que não se perde é a saudade de tudo isso. As memórias ficam, os dias voam, mas os pensamentos mantêm-se, e com eles a esperança do retorno do tudo. O passado dói, a tristeza dói, a ânsia dói, a saudade dói. Mas é a dor da saudade que nos prova que haverá sempre algo por que voltar.

sexta-feira, 5 de março de 2010

Grandes Poetas (homenagem)

Foste Homem, foste Poeta
Foste gente de grande honra
Pois enquanto foste poeta
Não trocaste a poesia por prosa

Homem do concretismo
Fizeste ver o real
Mostraste sem truques, sem esquemas
A tua visão global

Vives das figuras de estilo
Sempre trabalhaste para a cor
Defensor do impressionismo
Da realidade foste escritor

Não entendo como não te reconheceram
Com tanta genialidade
Foste outrora marginalizado
Mas vives na actualidade

Nestes dias me recosto
Teus poemas me regalam ler
Pois não há maior verdade
Que a de Cesário Verde

Outro Homem te chamou mestre
E em diversas personalidades
Ensaios para ti foram escritos
E todos são pura verdade

A este outro chamo eu mestre
Pois tudo nele me fascina
Os versos em rima prosada
São razão da minha escrita

Para mim não houve melhor escritor
Este é o alvo da minha lisonja
Sobreviveu durante os tempos
Ou não fosse Fernando Pessoa

quinta-feira, 4 de março de 2010

Superar

(latim supero, -are, estar acima, sobressair, dominar)

v. tr.
1. Ser superior a; galgar.
2. Exceder.
3. Vencer; ultrapassar; subjugar.

quarta-feira, 3 de março de 2010

Um cego e o publicitário

Estava um cego sentado numa calçada em Paris com um boné a seus pés e um cartaz de madeira, escrito com giz branco, com uma caligrafia meio tremida: "Por favor, ajude-me. Sou cego."
Um publicitário, da área da criatividade, que passava em frente dele, parou e viu poucas moedas dentro do boné. Sem pedir licença, pegou no cartaz, virou-o, e com o giz branco escreveu outro apelo. Voltou a colocar o cartaz no chão, aos pés do cego e foi embora.
Ao cair da tarde, o publicitário voltou a passar em frente ao cego que continuava no mesmo sítio a pedir esmola. Mas desta vez o boné estava cheio de moedas e notas.
O cego reconheceu pelo som os passos do publicitário e perguntou-lhe o que tinha feito ao cartaz, pois queria saber o que lá estava escrito. O publicitário respondeu: "Nada que não esteja de acordo com o seu apelo, mas com outras palavras." E sorriu, continuando o seu caminho.
O cego nunca soube o que estava escrito, mas o cartaz dizia: "Hoje é Primavera em Paris, e eu não posso vê-la."

Quando o homem fala da eternidade, é como o cego que fala da luz.
(Adaptado do blog da Veroniqa'D)

Matemátia pura

Tantos problemas, tantas operações para dividir e separar membros, tantas fracções irracionais. Tantas equações e números imaginários que já nem pertencem aos reais. E procuramos simplificar tudo isto para chegarmos a uma solução indeterminada ou a um conjunto vazio? Não sei como é que ainda se admiram que as pessoas já não gostem de Matemática.